// arquivos

Cartinha do Emanuel

Este tópico contém 71 posts

Barbárie

Por Emanuel Medeiros Vieira A violência relacionada ao futebol, no fundo, está relacionada à violência maior da sociedade brasileira. Um homem espera o ônibus para voltar para casa, após o jogo, vestindo a camisa do seu time e é massacrado por torcedores de outra agremiação. (No mesmo dia, 23 de fevereiro, um domingo, num shopping […]

Menino

Para Cida e Arnoldo Por Emanuel Medeiros Vieira “E por amor de ti, em guerra o tempo enfrento. Quanto ele em ti suprime, é quanto te acrescento.” (Shakespeare) Aqui não estás (mas “sinto” a tua presença imanente). Não vi o primeiro dente, os cabelos aparecendo mas estás aqui, no lado esquerdo do peito teu sorriso […]

Templos de consumo e de desejo

Shoppings: templos de consumo e de desejo (E muitas perguntas) Em memória do poeta Juan Gelman* Por Emanuel Medeiros Vieira Os shoppings são a antiga Ágora grega – o coração da cidade. Globalização? Da indiferença? Cabeças decapitadas, império do tráfico. Um menino me indaga; “O mal está vencendo?” Olho fixamente nos seus olhos: “Está”. Consolo-o: […]

Horror!

(Sobre presídio no Maranhão) Por Emanuel Medeiros Vieira “É uma barbárie como eu nunca havia visto”, disse Maria Laura Canineu, diretora do Humans Right Watch Brasil, sobre o vídeo em que presos do complexo presidiário de Pedrinhas, no Maranhão, comemoram a decapitação de detentos rivais. O Conselho Nacional de Justiça, várias entidades nacionais e órgãos […]

Na festa, esqueceram de Ti

(Reflexões natalinas não convencionais…) Por Emanuel Medeiros Vieira PARA A MINHA FAMÍLIA/ PARA OS MEUS AMIGOS Não Te chamaram nas catedrais de consumo, fostes escorraçado no meio de pacotes, eletro-eletrônicos e celulares para a mamãe. O Papai-Noel é mais relevante que Tu. Quem quer saber de Ti? Serves apenas para enriquecer os supermercados universais da […]

Pressa e Copa do Mundo

Por Emanuel Medeiros Vieira PRESSA “Os homens perdem a saúde para juntar dinheiro, depois perdem dinheiro para recuperar a saúde. E por pensarem ansiosamente no futuro se esquecem do presente de forma que acabam por não viverem nem o presente, nem o futuro. E vivem como se nunca fossem morrer… e morrem como se nunca […]

Refazer (sobre o luto)

Por Emanuel Medeiros Vieira “A dádiva mais preciosa que podemos oferecer a qualquer pessoa é nossa atenção” (Tich Nath Hanh, líder budista vietnamita) “O que move o mundo não são os braços fortes dos heróis, mas sim a quantidade dos pequenos empurrões de cada trabalhador honrado” (H. Keller) PARA TODOS OS ENLUTADOS, E PARA OS […]

O recado do Appel

O Emanuel Medeiros Vieira me escreve, faceiro, para contar que recebeu cartinha do Carlos Appel, da lendária Editora Movimento, comentando o último livro, Cerrado Desterro 2. E faz uma pequena apresentação do Appel (como se fosse necessário), em que demonstra sua admiração: “O Carlos Appel é nosso conterrâneo de Brusque, radicado há muitos anos em […]

Cerrado Desterro 2 – A Missão!

O Emanuel Medeiros Vieira é conhecido de todos que gostam de literatura e que viveram esta Ilha na década de 70, quando ele agitava por aqui. E é conhecido também dos mais jovens que frequentam este blog. Escritor compulsivo, manezinho exilado, suas raízes estão na ilha e o tronco dividido entre Brasília e Salvador. Ele […]

PROPAGANDA ENGANOSA

A CULTURA DAS MULHERES LINDAS, JOVENS E MAGRAS (E “NÓRDICAS”) Por Emanuel Medeiros Vieira “Credibilidade é a única moeda válida neste vasto mercado repleto de ruídos” (Pete Blackshaw) Nos anúncios televisivos, as mulheres são quase todas magras, belas e loiras. É um padrão nórdico, mesmo que a propaganda seja veiculada na Bahia. Segundo uma pesquisa […]

Endereço

Por Emanuel Medeiros Vieira PARA OS BLOGUEIROS DA ILHA Perdi (perdemos) o endereço de Deus. Perdi (perdemos)? Estará no bolso da calça, na segunda gaveta, no trapiche da Praia de Fora, no Parque da Redenção, na Praça Castro Alves, na esquina da São João com a Ipiranga? Perdi o endereço de Deus. Estará escondido na […]

Pó e memória

Por Emanuel Medeiros Vieira “O homem é feito visivelmente para pensar; é toda a sua dignidade e todo o seu mérito; e todo o seu dever é pensar bem” (Blaise Pascal) A morte sempre ganha: tem mais tempo. Pessimismo? Driblamos a Indesejada até quando for possível. Pó e memória. Mas celebramos o pássaro cantante, um […]

Carta à Letícia

Por Emanuel Tadeu Medeiros Vieira PARA OS PAIS, FILHOS E IRMÃOS DE LETÍCIA (MARIA LETÍCIA VIEIRA DA SILVA), QUE PARTIU EM 29 DE JUNHO DE 2013 PARA TODOS OS SEUS PARENTES E AMIGOS “Quando morremos, nada pode ser levado conosco, com a exceção das sementes lançadas por nosso trabalho e do nosso conhecimento.” (Tenzin Gyatso, […]

Festa de S. João descaracterizada

Por Emanuel Medeiros Vieira A festa de São João é uma das tradições mais fortes e enraizadas do Nordeste. Junto com o carnaval, não creio que na Bahia haja outro acontecimento que mobilize tantas pessoas – muitas viajam para cidades do interior, onde a tradição ainda é mais intensa. Escrevi “ainda”. Sim. Será fruto do […]

Cidade muda não muda

BAHIA: MANIFESTAÇÕES (E Reflexões Gerais) “Cidade muda não muda” (De um cartaz que uma moça segurava numa manifestação no Rio de Janeiro) Por Emanuel Medeiros Vieira Em memória do moço – brasileiro como nós – de 18 anos que morreu nas manifestações realizadas em Ribeirão Preto (São Paulo), em 20 de junho de 2013, atropelado […]

Celebridades

(PROSA POÉTICA “VULGAR”) Para os meus amigos, e para todos aqueles que ainda buscam o Humano E para os que já se foram Por Emanuel Medeiros Vieira Uma moça – filha de uma celebridade já morta– corta os pulsos aos quinze anos. As pessoas casam-se para aparecer na revista “Caras”. E as pessoas separam-se para […]

Dez anos

Por Emanuel Medeiros Vieira PARA O LUCAS, MEU FILHO, QUE COMPLETOU 10 ANOS DE VIDA EM 24 DE MAIO DE 2013 “Agora é um instante/Já é outro agora.” (Clarice Lispector) Menino: é assim mesmo? Dez anos que voaram. A vida: lembro-te engatinhando pela casa. Foi num sábado, de madrugada, quando vieste ao mundo. No Cerrado, […]

Violência

(E o quadro na Bahia) “Nada que nos aflige pode ser considerado pouco” (Mark Twain) Por Emanuel Medeiros Vieira Meu plano inicial era escrever um texto sobre o qual tenho pesquisado e meditado bastante: a violência nas escolas baianas. Mas percebi que não poderia dissociar a reflexão do quadro da violência geral – cada vez […]

O sarrafo da polícia

(Nota do Editor: o Emanuel escreveu este texto antes das manifestações da semana passada em São Paulo, Rio e outras cidades e me enviou há algumas semanas. Como passei uns dias meio “fora do ar”, envolvido com compromissos profissionais, só consegui publicá-lo hoje.) POLÍCIA DO PT BAIXA O SARRAFO EM ESTUDANTES BAIANOS Por Emanuel Medeiros […]

Outros exílios

Por Emanuel Medeiros Vieira Para Cida e Miriam: irmãs e amigas “MEU MUNDO É FEITO DE PESSOAS QUE SÃO AS MINHAS – E EU NÃO POSSO PERDÊ-LAS SEM ME PERDER” (Clarice Lispector) Nos pertencemos? nos exilamos interna externamente nas lonjuras ou aqui mesmo nesta máquina neste teclar neste domingo à tarde. Cidadãos do mundo –. […]

Arquivos