// você está lendo...

Caraminholas

Obsessão

Engana-se quem acredita que o principal adversário do Dário seja o governador Raimundo Colombo ou mesmo o Júnior com quem seu Gean se digladia no momento. Por algum motivo que até hoje nunca me preocupei em investigar, Dário e a parte do PMDB que ele lidera têm, na alça de mira, os Amin de uma maneira geral e Esperidião Amin em particular.

Isso soa estranho, porque quem observa de longe até acha que os Amin já não estão com aquela bola toda. Mesmo entre os partidários do Júnior, há quem diga que o sobrenome do vice é mais um fardo do que uma ajuda.

Mas não importa. A mesma atenção que Dário deu aos Amin na época em que concorreu pela primeira vez na capital, parece devotar ainda hoje. Uma obsessão sem muito sentido. Na época, concorria diretamente com eles. Agora, seu pupilo concorre com um afilhado dos Bornhausen, turbinado pelo governador. Os Amin são força auxiliar secundária, não controlam sequer uma secretaria de estado. O vice mal e mal apareceu nas propagandas de TV.

Por isso, escapa à compreensão dos mortais comuns não militantes nem fanáticos, que o prefeito Dário tire do seu tempo e arrisque-se a provocar algum incidente político ao gritar, do carro de som em que se encontrava hoje à tarde, com Gean, insultos aos Amin.

Não tenho informação suficiente para relacionar o incidente provocado pelos cabos eleitorais (que relato na nota “Provocações Rasteiras”), com a passagem do carro de som com Dário e Gean. E gostaria de acreditar que foram episódios isolados. Porque, se uma coisa levou à outra ou se ocorreram concomitantemente, como estão afirmando alguns militantes do Cesinha, a situação assume outra proporção e passa a ter um nível de gravidade que ninguém deseja.

Bom, continuando: quem classificou o que ele disse como insulto foi quem se sentiu insultado. E isso sempre tem uma carga de subjetividade difícil de avaliar. É provável que Dário não ache que o que disse, em público, microfone na mão, ofensivo. Mas ele é suspeito: persegue, por tantos anos, essa obsessão, que naturalmente deve achar que nada do que se diga sobre a família e o nome de seus inimigos seja demasiado. Ou fora de propósito.

Para intizicar ainda mais com o Dário, que é um sujeito pragmático da velha escola, pouco afeito às sutilezas de caneladas mais intelectualizadas, olha só o que o seu arqui-inimigo Esperidião Amin publicou hoje no blog dele, como quem não quer nada:

“Em tempos de eleição, é normal que ânimos e mágoas sejam “turbinados”. Por isto, gosto de repetir para mim mesmo – e para quem achar que sejam úteis – três criações que a inteligência humana conseguiu perpetuar:

1) Sucesso (ou Sobrevivência?) de Ralph Waldo Emerson:

Rir muito e com freqüência; conquistar o respeito de pessoas inteligentes e o afeto das crianças; granjear o apreço de críticos honestos e suportar a traição de falsos amigos; apreciar a beleza; descobrir o que há de bom nos outros; deixar o mundo um pouco melhor, quer por uma criança sadia, por um pedaço de jardim ou por uma condição social redimida; saber que uma vida respirou mais facilmente porque você viveu; isto é ter sido bem sucedido.

2) Hebreus 12.15 “…nem haja alguma raiz de amargura que, brotando, vos perturbe e, por meio dela, muitos sejam contaminados”. Na linguagem de hoje seria: “…Cuidado, para que ninguém se torne como uma planta de amargura que cresce e prejudica muita gente com o seu veneno!”.

3) “Não chores por ter perdido o sol pois as lágrimas não te deixarão ver as estrelas!”. Este é um pensamento de “beduíno”.”

Discussão

Comentários estão desativados para este post.

  1. Caro César, sem esquecer que se “de a César o que é de César e a Deus o que é de Deus”:
    - Falta mais políticos como o Esperidião em SC e no BR. Com seus erros, que ele mesmo reconhece e combate,mas, acima de tudo com seu caráter de pessoa de bem e sua energia em prol de nossa gente.
    Ofendem-no sem o menor escrúpulo, por mera inveja de sua inteligência, capacidade de trabalho, vontade de fazer o bem e capacidade de assumir seus erros, sem compromisso com eles!

    Posted by Luiz Fernando | outubro 19, 2012, 23:58
  2. É por essas e outras que, mesmo que insistam em desabona-lo, sempre restarão admiradores.

    Posted by Marlam Hosmnest | outubro 20, 2012, 12:55
  3. Talvez essa obsessão esteja fundada no fato de que, apesar de alijados do poder, não faltam “viúvas” dos Amin entre a elite (oligarquia) de Florianópolis, inclusive nos meios de comunicação.

    Posted by Fernando S | outubro 20, 2012, 17:22
  4. Pois agora…

    Qual Amin baixou nele? O que troca afagos com petistas como Ideli ou aquele que disse que o pior atentado que se pode cometer contra o Lula= PT, além de alvejá-lo com um Mortífero Dicionário, é atirar-lhe uma Carteira de Trabalho?

    Bate e assopra, bem o velho estilo sabonete.

    Posted by Lia | outubro 21, 2012, 17:59
  5. As princesas de Gean Loureiro

    Pendurados na porta dos quartos estão desenhos de princesas. É assim que as quatro filhas do candidato do PMDB, Gean Loreiro, são consideradas pelo pai. As meninas, Beatriz, 16, Marina, 10, Ana Clara, 8 e Mariana, 6, estão sempre perto de Gean, ainda que durante a campanha ele tenha pouco tempo.

    Casou-se grávida?

    Posted by Beatrice | outubro 22, 2012, 02:22
  6. Acima comentei na publicação errada

    Posted by Beatrice | outubro 22, 2012, 02:24

Posts recentes

O fim de uma era
23 de maio de 2014, 17:27
Por Cesar Valente
E aí? Abandonou o blog?
6 de maio de 2014, 17:46
Por Cesar Valente
Brasília real aos 54 anos
28 de abril de 2014, 22:12
Por Cesar Valente
Beleza e crueldade
28 de abril de 2014, 22:01
Por Cesar Valente
A semana dos enigmas
17 de abril de 2014, 8:09
Por Cesar Valente

Arquivos