// você está lendo...

Fala leitor

Terra de ninguém

Vídeo enviado por um leitor. Mostra bem o tipo de “educação” que a omissão oficial está proporcionando aos habitantes de Santa Catarina.

MAIS DO MESMO

Essa falta de vergonha e de respeito não ocorre só no trânsito. Olha só a cartinha que um outro leitor mandou, resumindo a baderna que rola nos lugares mais insuspeitos.

“Chame o ladrão!
Pelo jeito, o vento Sul está batendo com força no Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) e não é por nada. É pelo mau exemplo. Corre, nas internas, um já volumoso processo administrativo por conta de irregularidades na terceirização de mão-de-obra. O mesmo assunto passou pela Polícia Federal e baixou no Ministério Público Federal depois de ser tema de audiência pública na Assembleia Legislativa catarinense. Ouve-se que um alto cargo comissionado já dançou e pode vir mais degola por aí. O TJSC também está sendo questionado no Conselho Nacional de Justiça pelo pagamento retroativa do auxílio-alimentação dos magistrados, numa conta que por baixo chega a R$ 22 milhões, e por nomear contratados para funções específicas de concursados, o que é proibido pela Constituição Federal. Os nomeados vão exercer atividades de fiscalização. Chico Buarque, outrora, diria: “Chame o ladrão!”

Discussão

Comentários estão desativados para este post.

  1. Parabéns a quem fez este vídeo. O nosso trânsito poderia estar muito melhor se as nossas “otoridades” de trânsito fizessem o seu papel de fiscalizar e punir os motoristas “espertos”.
    A única fiscalização que funciona, é da GMF na Zona Azul, por que $$será$$?

    Posted by Renato | junho 15, 2012, 16:32
  2. Nada justifica o desrespeito às sinalização e demais regras de trânsito. Ponto. Contudo, há que se ponderar o que houve nas principais vias do Continente, após a inauguração da Beira-Mar. A região foi simplesmente “inundada” com semáforos, alguns com distância inferior a 100 metros entre eles e, o que é mais grave, em cruzamentos com fluxo reduzido, onde bastaria uma placa de “dê a preferência”. Além disso, tivemos as mudanças no sentido das vias (sem razão alguma) e das próprias vias preferenciais, estimulando os desrespeitos que acabamos de ver no vídeo. Um exemplo é o cruzamento entre a Rua Sérgio Gil e Avenida Santa Catarina, no balneário do Estreito. Para quem vem da Beira Mar Continental e deseja ingressar na Avenida Santa Catarina, além de se deparar com um semáforo absolutamente desnecessário, agora tem que fazer um “balão” na quadra e, ao final, retornará ao ponto de origem, deparando-se com outro semáforo, quando bastaria dobrar à esquerda. O mesmo se pode dizer de quem vem do antigo Clube 06 de Janeiro: bastaria dobrar à direita, dando a preferência para quem está na Avenida Santa Catarina. Mas, há de se aguardar o semáforo, sendo que, na maioria das vezes, não há fluxo algum de veículo, principalmente depois das 22:00 horas. A situação é tão absurda que o motorista que respeita o semáforo, ao invés de se sentir um cidadão exemplar, sente-se um idiota. Na verdade, idiotas somos nós que, com nossos impostos, pagamos tantos semáforos inúteis para a empresa vencedora da licitação (se é que houve uma).

    Posted by Guilherme Bossle | junho 15, 2012, 16:45
  3. Semáforos inúteis são um perigo, e a cidade tem vários deles. No Saco dos Limões, por exemplo, tem um na esquina do antigo Imperatriz. O fluxo de veículos não justifica aquele semáforo, e por isso muitos motoristas não o respeitam. Se você respeita, sente-se um idiota, como falou o leitor acima. Os outros motoristas passam, e você fica parado. É claro que os sinais de trânsito devem ser respeitados, e por isso eu e outros motoristas paramos naquele semáforo, mas é preciso ter muito espírito republicano para respeitar uma lei ou sinalização que não faz sentido. Mas pior que desrespeitar semáforos inúteis, é desrespeitar semáforos úteis! Parece que desde que não há mais fiscalização eletrônica, isso vem se tornando muito comum em Florianópolis. Todos os dias eu vejo motoristas e motoqueiros furando o sinal, em plena luz do dia, em horários de grande movimento. Lamentável.

    Posted by César F. Santos | junho 15, 2012, 17:59
  4. Quem foi o engenheiro de transito que aprovou esta obra que obriga os motoristas a fazer estas barbaridades? E o retorno por dentro do posto de gasolina na Mauro Ramos, quem não fez?

    Posted by Paulo Brito | junho 15, 2012, 19:10
  5. Os assuntos estão na mesma notícia para medir a repercussão? Claro que o vídeo chama mais a atenção porque é vivenciado por todos no dia a dia. Parabéns aos engenheiros (?) do trânsito. Mas a notícia de supostas irregularidades no TJSC certamente é mais dolorosa e revoltante.

    Posted by Max | junho 15, 2012, 22:48
  6. Moro muito próximo a este cruzamento e diariamente faço uso dele. É um absurdo a obra que a prefeitura fez. Simplesmente ignorou algumas centenas de moradores da região do começo do Estreito fazendo um retorno a quase 1km de distância deste cruzamento, depois da Ponte Hercilio Luz. Na maioria das vezes confesso que faço o retorno na contramão (não este do vídeo, mas o de quem vem da Colombo Salles).

    Posted by Rodrigo Lóssio | junho 15, 2012, 23:27
  7. A respeito do pagamento retroativo do auxílio-alimentação para os magistrados trago interessante comentário lá do Cangablog:

    Vamos traçar um breve paralelo:

    digamos que um servidor do Judiciário não tenha recebido um valor que lhe era devido desde 1991, ele então ajuiza uma ação judicial para ver o seu direito reconhecido, entre o ajuizamento e decisão de todos os recursos vamos estimar um prazo de 5 anos, decisão judicial transitada em julgado o valor é incluído no orçamento para pagamento via precatório, lá se vão uns 08 anos, estimando por baixo, levará em torno de 13 anos para o recebimento, e receberá somente o valor referente aos últimos 5 anos, contado do ajuizamento (a tal prescrição quinquenal que vale para a Administração Pública).

    E se, na mesma situação, for um desembargador: apresenta um pedido na via administrativa, recebe assim que houver a decisão do Pleno, também estimando, no máximo em 2 meses, sem trâmite judicial, sem entrar na lista dos precatórios, e olha só, recebe integralmente desde 1991.

    Deve prevalecer a máxima: “tratar igualmente os iguais e desigualmente os desiguais na medida em que eles se desigualam”, um é servidor o outro é desembargador.

    Posted by Catarina | junho 16, 2012, 09:26
  8. Concordo com o Guilherme: nada justifica a falta de educação das pessoas. E eu só vou acreditar em políticos/legisladores/magistrados melhores, comprometidos com a população, com a melhoria de vida, e não com o “sistema”, quando as pessoas mudarem de comportamento. Você não deve fazer o certo só pq alguém está vendo ou pq há fiscalização. Deve fazer pq é o certo, caramba. Eqto alguns se acharem “espertinhos”, fazendo bobagens pq “ninguém está olhando”, nada vai mudar. E os corretos continuarão sentindo-se como idiotas. O cruzamento da Rio Branco com a Esteves Jr é uma bagunça. Motoristas não respeitam o sinal, dobram em local proibido, e o pedestre não tem segurança nem quando o sinal está fechado. Na Beira Mar, sem os “pardais”, os motoristas metem o pé no acelerador sem dó. No Jardim Atlântico, os motoristas ignoram as sinaleiras que ficam próximas ao Angeloni, e os cruzamentos são perigosos. Mesmo com o sinal aberto, é aconselhável olhar bem para todos os lados, pq a coisa não é fácil!!!! Esse tipo de comportamento é resultado da educação… que a gente recebe EM CASA, e não na escola!

    Posted by Aline | junho 17, 2012, 19:51

Posts recentes

O fim de uma era
23 de maio de 2014, 17:27
Por Cesar Valente
E aí? Abandonou o blog?
6 de maio de 2014, 17:46
Por Cesar Valente
Brasília real aos 54 anos
28 de abril de 2014, 22:12
Por Cesar Valente
Beleza e crueldade
28 de abril de 2014, 22:01
Por Cesar Valente
A semana dos enigmas
17 de abril de 2014, 8:09
Por Cesar Valente

Arquivos