// você está lendo...

Amigos

Musa não se aposenta

Hoje o Damião publicou a informação da homenagem que o governo prestou à Marisa Ramos, que está sendo aposentada compulsoriamente por ter atingido 70 anos. E isso é uma mentira deslavada: a Marisa jamais terá 70 anos!

Marisa Ramos

Marisa e seu grande amigo, o cigarro.

Talvez até tenha chegado a essa idade no calendário mundano desses infiéis gregorianos, mas no meu coração ela estará eternamente numa folhinha (que é como gente do meu tempo chamava os calendários), de biquini, com o cigarro nas mãos, com aquele sorriso inconfundível e sedutor. Marisa Ramos não tem idade. Ela é. Ponto.

A Marisa apresentava, com o Mauro Júlio Amorim (outro que está preservado nas memórias dos florianopolitanos de certa época), um programa de variedades na TV Cultura, canal 6. Antes, tinha desfilado em passarelas da alta costura. Tinha morado no Rio, para desespero das comadres fofoqueiras de então. E acabou se apaixonando pelo Adolfo Zigelli, que revolucionava o jornalismo local com o Vanguarda, programa jornalístico de rádio que tinha quase 100% de audiência.

Ziguelli e Marisa

Adolfo Zigelli e Marisa

Quiseram os deuses interferir de maneira trágica nesse romance da musa com o ídolo, afastando-o dela sem aviso, sem retorno e prematuramente. Mesmo só e triste, Marisa continuava sendo, como sempre foi, uma estrela, com luz própria. Encontrá-la, falar com ela, sempre me deixou nervoso. E sempre alegrou meu dia. Pena que não tive muitas oportunidades. Mas tenho boa memória e no grande salão reservado às musas, a Marisa ocupa lugar especial. Sempre ativa e presente nas melhores lembranças.

Podem tirar o cavalinho da chuva e enfiar essa lei esdrúxula no saco, porque musa não se aposenta. Muito menos compulsoriamente. E continuará, pra sempre, a iluminar a folhinha que uso para me assegurar que o tempo não passa se a gente mantém, na alma, no coração e nos olhos, aquele sorriso que é a marca registrada da Marisa. Beijo grande do teu fã.

Marisa

Grande Marisa. Inconfundível. Incomparável.

[No começo de 2003 orientei o trabalho de conclusão de curso da Elissa Bonato e da Nara Cordeiro, no Jornalismo da UFSC, sobre a vida do Adolfo Zigelli. As fotos acima, se não me engano, pertencem ao acervo da própria Marisa, que as cedeu para que as estudantes utilizassem para ilustrar o trabalho. Hoje, quando vi a notícia da "aposentadoria", lembrei que tinha ficado com cópia desse material. E tomei a liberdade de utilizar algumas das fotos para enfeitar essa minha declaração de amor. Que não foi a primeira, nem será a última.]

Discussão

Comentários estão desativados para este post.

  1. Bela homenagem,Cesar.

    Posted by Virson | maio 11, 2012, 20:03
  2. Grande beijo querida amiga…do teu amigo Vadeco

    Posted by Osvaldo Peixoto | maio 12, 2012, 09:03
  3. Marisa querida, era tao bom encontra la no Contro Administrativo!!!Um Oasis dentro daquilo la…
    Damiao tem razao.Tenho um teclado frances, desculpe a grafia, estamos fora do pais.
    Beijos, Martha Mansinho e Andre Schmitt

    Posted by martha mansinho | maio 14, 2012, 04:53

Posts recentes

O fim de uma era
23 de maio de 2014, 17:27
Por Cesar Valente
E aí? Abandonou o blog?
6 de maio de 2014, 17:46
Por Cesar Valente
Brasília real aos 54 anos
28 de abril de 2014, 22:12
Por Cesar Valente
Beleza e crueldade
28 de abril de 2014, 22:01
Por Cesar Valente
A semana dos enigmas
17 de abril de 2014, 8:09
Por Cesar Valente

Arquivos