// você está lendo...

Fala leitor

Choque sem enxugamento

Fusca

Coisa difíceis de encontrar: fusquinha bem conservado e políticos de oposição

Estava indo para o restaurante ainda há pouco quando parou do meu lado um fusca e dele sairam todos os componentes da oposição ao governo estadual. Houve tempo, não faz muito, em que eles eram mais numerosos e andavam de kombi. Mas agora mudaram para um fusquinha. Questão de economia.

Aproveitaram que me viram na rua para fazer pessoalmente algumas observações sobre o governo e sobre a coluna de hoje. Claro que gostaram do que escrevi, porque está cada vez mais raro ler, ver ou ouvir alguma coisa criticando o generoso governo catarinense.

E fizeram, em resumo, as seguintes observações, que transcrevo porque sou um defensor das minorias oprimidas e sem voz:

1. O tal “choque de gestão”: eles acham que o governo tem memória fraca. E é mal informado. “Choque de gestão” foi a ação propagandeada nacionalmente pelo então governador de Minas Gerais, Aécio Neves, logo que assumiu. E consistia, fundamentalmente, no seguinte: extinguir algumas dezenas de secretarias. Ora, a esta altura do governo, todos já desconfiam que Colombo não vá mais mexer no cabideiro das regionais. Ao contrário, vai tentar tirar deles o maior proveito. Portanto, embora use a terminologia que em Minas significou enxugamento, não vai enxugar nada.

2. O governo Raimundo está mal assessorado em termos de publicidade: lançou uma campanha intitulada “ordem de serviço” e só mostra obras prontas. Todos sabem que a “ordem de serviço” antecede a obra. Normalmente prefeitos e governadores usam o expediente de assinar “ordem de serviço” pra mostrar que alguma promessa sairá do papel. Embora muitas vezes não passe disso: depois da assinatura de um papel, diante de câmeras e microfones, nada acontece. Ou demora séculos para acontecer. No governo que aí está, porém, inventaram a “ordem de serviço” pós-moderna. Ou pós-obra. Deve ser coisa de redator publicitário pouco familiarizado com o jargão administrativo.

3. O Raimundo está arrancando os cabelos com a possibilidade de unificação do ICMS para importações. Esquece (ou faz de conta que não lembra) o mal que a importação desenfreada (e cheia de incentivos) faz à indústria nacional (cada vez mais desamparada). E não lembra (ou faz questão de esquecer) que Santa Catarina nunca temeu competição e concorrência. Parece o mesmo chororô do governo Lula com a CPMF. Ou o tio Patinhas: só enxerga o volume de dinheiro que entra na caixa. Não importam os reflexos nas diversas áreas nem o futuro.

Dito isto, eles (e ela) voltaram a entrar no veículo e partiram sei lá pra onde. Como toda espécie em extinção, os opositores do governo estadual de Santa Catarina deveriam merecer a proteção de alguma ONG. Mas tá difícil. A maioria das ONGs tem ligações com partidos “da base”. E as “independentes” dependem de grana do governo federal que, como vocês sabem, também faz parte “da base”. Ou vice-versa.

 

Discussão

Comentários estão desativados para este post.

  1. Sempre bons textos. Leitura Obrigatória.
    Aqui em Chapecó a oposição cabe em uma moto, sem garupa. Isso pois, é um perigo criticar, correndo o risco de levar um dedo em riste com a argumentação:”és um fanfarrão da esquerda trotskista!”

    Posted by Diogo Gustavo | março 20, 2012, 16:48
  2. http://imageshack.us/photo/my-images/853/maratonacultural4.jpg/ Protesto de artistas na capital de SC! Mais de MIL visualizações na WEB contra declaração de Dário!

    Posted by gean | março 21, 2012, 13:47

Posts recentes

O fim de uma era
23 de maio de 2014, 17:27
Por Cesar Valente
E aí? Abandonou o blog?
6 de maio de 2014, 17:46
Por Cesar Valente
Brasília real aos 54 anos
28 de abril de 2014, 22:12
Por Cesar Valente
Beleza e crueldade
28 de abril de 2014, 22:01
Por Cesar Valente
A semana dos enigmas
17 de abril de 2014, 8:09
Por Cesar Valente

Arquivos