// você está lendo...

Amigos

Jair Hamms

Jair Hamms

Jair Francisco Hamms. Foto: Palhares Press

Morreu um bom sujeito. Jair Francisco Hamms foi sepultado hoje à tarde, em Florianópolis. Generoso, gentil, bom contador de histórias, florianopolitano de boa cepa, deixou-nos a todos mais pobres. Ficamos órfãos todos os que nos deliciamos com seus contos e crônicas.

No começo da década de 70, o jornal O Estado fez uma grande reforma editorial e gráfica e reuniu um time de cronistas que se revezava numa das páginas do Caderno 2, que era como se chamava o suplemento cultural e de variedades.

Eram, na maioria, cronistas consagrados: Jair Hamms, Sérgio da Costa Ramos, Júlio de Queiroz e Raul Caldas. Decerto para completar o número (cada um escrevia num dia), chamaram também um novato que estava começando a publicar suas crônicas: eu. E só aceitei porque, aos 19 anos, a gente mete a cara, sem ligar muito pro que vão pensar e se vamos dar conta do recado.

Jair Hamms tinha 35 anos quando o conheci. Era um grande nome, conhecido e respeitado, tinha tudo para esnobar o moleque aprendiz que, meio deslocado, entrara para aquele time de craques. Mas nunca ouvi dele senão palavras de incentivo, tratando-me como se eu fosse um velho amigo e estivesse à altura deles todos.

Ao longo desses quase 40 anos, sempre que nos encontrávamos ele tinha alguma coisa boa para dizer e era sempre um prazer poder ouvi-lo. Depois de termos sido colegas em O Estado os contatos ficaram mais espaçados, mas ele conseguia fazer com que a conversa como que fosse retomada a cada nova reunião, sem se importar com o tempo decorrido entre uma e outra.

Amante das palavras, do significado delas, do seu som e do que elas podiam construir quando agrupadas adequadamente, deixou uma obra importante, que vale a pena conhecer. Porque ali está boa parte da alma florianopolitana.

Discussão

Comentários estão desativados para este post.

  1. Seria interessante valorizar os nossos talentos. Fico constrangido em dizer que, com 26 anos e nascido em SC, tenha ouvido falar do Jair Hamms somente agora. Perguntando aos mais velhos sim tomei conhecimentos dos seus textos até a década de 1980.

    Posted by Anthony Toini | janeiro 11, 2012, 22:52
  2. Caro Cesar Valente,

    Mesmo num momento de grande consternação pela perda de uma personalidade ímpar das letras catarinenses e no qual junto-me a tantas vozes que lamentam a partida de Jair Hamms e que sentiram saudade da sua pena invulgar quero te parabenizar por tão belo texto e de sentido reconhecimento pela figura e pela obra do escritor. Sim,Jair Hamms é um dos grandes ícones da literatura catarinense contemporânea.
    Peço tua autorização para publicar no Blog Comunidades e compartilhar com os leitores do nosso espaço de artes e letras.
    Um abraço

    Posted by lelia | janeiro 12, 2012, 09:54
  3. Obrigado, Leila. Claro que podes divulgar o texto.

    Posted by Cesar Valente | janeiro 12, 2012, 10:00
  4. Engraçado esse negócio de incentivo do Jair. Ele é primo (uso o verbo no presente pois a morte não desfaz os atos da vida) de meu pai. Certa vez, quando comecei a escrever para o Mais Antigo, me chamou para um papo na Artplan Prime. Achei até que ia me convidar para trabalhar lá. Nada disso. “Tu tens futuro, vais longe. Essa matéria aqui, apontando para o jornal O Estado, ficou muito boa. Esquece esse negócio de publicidade. Tu és mesmo jornalista”. Era 1993 e eu na terceira fase de jornalismo. Pelo menos, na distância, fui longe. Estou a mais de 1.700 Km de Floripa. Obrigado Jair.

    Posted by Diógenes Botelho | janeiro 12, 2012, 10:29
  5. Sou genro do Jair, casado com Ana Paula, primogênita do Jair e Lúcia. Me manifesto para agregar às qualidades aqui já mencionadas a de um grande cara no seu dia a dia. O avô apaixonado pelo meu pequeno Francisco que se emocionava quando ele se equilibrava em pé e em seus primeiros passinhos. Justo e coerente em tudo e…amigo. Sempre amigo e incentivador. Estamos sentido muito muito muito a falta dele. Ontem fiquei sentado em sua poltrona em sua casa, observando toda a sua biblioteca que é a sua mais fiel fotografia. Ficamos felizes com esse post aqui no César Valente. O Jair jamais solecionou inimigos e isso é um modelo, um exemplo, que deixaremos sempre vivo para o seu netinho. Abração, queridão.

    Posted by Marcelo Aguiar (@BaixoProfundo) | janeiro 12, 2012, 13:37
  6. o Jair era meu amigo de infancia faziamos parte de um mix que so existia na epoca em que meninos de todas as classes conviviam numa b oa.Gostava de encontrar o Jair com aquela boa conversa de garinpar fatos e personagens a conferir datas,apelidos e nomes.Frequentamos aulas de desenho e pintura,carreira interronpida pelo professor,que fugiu com nossos trabalhos.Grato Jorge

    Posted by jorge souza | janeiro 14, 2012, 23:28
  7. Caro César Valente
    Muito Obrigada. Vou postar hoje.
    Espia lá: ww1.rtp.pt/icmblogs/rtp/comunidades
    É um Blog situado no site da RTP Açores7portugal e tem por objetivo divulgar e aproximar vozes das diferentes comunidades açorianas espalhadas no mundo.
    Bom domingo,abraços.
    Lélia

    Posted by lelia | janeiro 15, 2012, 11:27
  8. Desculpe a gralha
    RTPAçore/Portugal

    Posted by lelia | janeiro 15, 2012, 11:27

Posts recentes

O fim de uma era
23 de maio de 2014, 17:27
Por Cesar Valente
E aí? Abandonou o blog?
6 de maio de 2014, 17:46
Por Cesar Valente
Brasília real aos 54 anos
28 de abril de 2014, 22:12
Por Cesar Valente
Beleza e crueldade
28 de abril de 2014, 22:01
Por Cesar Valente
A semana dos enigmas
17 de abril de 2014, 8:09
Por Cesar Valente

Arquivos