// você está lendo...

Recado do editor

Regras de etiqueta para o blog

A convivência entre leitores/comentaristas e autor, num blog, pode ser divertida, prazerosa e enriquecedora, ou virar um pesadelo. Minha experiência de cerca de dez anos online é que a maioria dos que se dispõem a compartilhar opiniões e discutir os assuntos, é do bem.

Houve tempo em que os poucos malas que apareciam me obrigaram a bloquear preventivamente os comentários e só liberar depois de ler. Agora voltei ao sistema antigo, de comentários abertos que são deletados se e quando for o caso. Por enquanto está indo tudo bem e todos estão se comportando maravilhosamente.

Os assessores de imprensa de entidades citadas (ou as próprias pessoas e autoridades mencionadas) tanto podem interagir nos comentários, quanto me mandar e-mails (tem um link ali em cima, na aba “contato”). O que estiver incorreto será sempre corrigido. Sem drama. Como não amo de paixão nada nem ninguém e também não odeio nada nem ninguém, o diálogo sobre minhas opiniões e meus equívocos geralmente ocorre numa boa.

Mas nem tentem “aconselhar” o blog ou os comentaristas a não discutir este ou aquele aspecto de qualquer coisa. “Recomendações” do tipo “acho que toda a discussão deve ficar restrita às questões tais e tais” serão desconsideradas porque um dos objetivos deste blog é justamente discutir qualquer coisa. Principalmente aquilo que alguém gostaria que não fosse discutido.

Como já informei em outras ocasiões, este é um blog de opinião. Tem, às vezes, informações e notícias, mas basicamente vocês encontram aqui o meu ponto de vista. Como um blog não é um bem público, é uma propriedade intelectual particular, considero-o como extensão da minha casa. Faço o que bem entendo, mas respeito os vizinhos e as visitas. E gostaria que, ao chegar aqui, vocês se sentissem bem recebidos e encontrassem sempre alguma coisa interessante para pensar ou discutir.

Estou bem animado com esse recomeço e espero poder contar com a colaboração de todos para manter o nível das discussões num patamar que contribua para levantar assuntos de interesse dos eleitores/contribuintes e valorizar a importância da liberdade de expressão.

Um bom dia pra todos nós.

Discussão

Comentários estão desativados para este post.

  1. Caro Cesar. Em meu comentário anterior, presumo não ter sido bem compreendido, como se estivesse querendo determinar o que se deve ou não discutir, neste, ou em qualquer outro espaço – democrático – de debate. Pior ainda, querendo determinar de forma autoritária ou, até mesmo, deselegante, ao ponto de originar um post com o título “regras de etiqueta do blog”. Longe de mim tudo isso. Minha intenção foi – e haverá de ser, sempre – tão-somente contribuir para que as discussões se dêem em torno dos temas ou das questões que, efetivamente, estão em jogo, tanto para que não se perca o foco do debate, como também para que o mesmo se mantenha num nível mais elevado, como, aliás, geralmente ocorre, nos debates promovidos pelos comentaristas deste blog. Creio que, assim, será possível extrair de qualquer discussão idéias producentes e que mereçam reflexão. Enfim, deixemos, para os grandes portais da internet, os comentários radicais, preconceituosos e reveladores de pouca forma formação intelectual cultural, e façamos deste blog, melhor dizendo, mantenhamos este blog como um espaço onde se debate, de maneira inteligente, sobre temas que realmente importam. Isso, creio eu, não significa, da minha parte, querer impedir que se discuta “este ou aquele aspecto de qualquer coisa”, e sim opinar sobre quais são os verdadeiros aspectos da “coisa” que está sendo discutida e, no caso específico, o fato de o hospital se destinar a “ricos” não me parece, salvo melhor juízo, ser um aspecto relacionado às questões que envolvem o pedido de demolição formulado pelo Ministério Público. Mas, todos aqueles que pensam o contrário, são – e jamais poderão deixar de ser – livres para debater sobre tal aspecto ou sobre qualquer outro, cabendo aos demais comentaristas não concordar ou, simplesmente, abster-se do debate. É como penso. Saudações.

    Posted by Guilherme Bossle | março 16, 2011, 12:28
  2. Concordo, Cesar, e peço perdão antecipado por eventuais excessos, fruto da empolgação que não raras vezes passa à frente da educação.

    Posted by Pedro de Lemos | março 16, 2011, 12:53
  3. Hehehe, Guilherme, não foi teu comentário que originou o post. Eu já o estava escrevendo quando li o que dissestes. Apenas usei um trecho pra ilustrar, porque o que falastes é dito com muita frequencia, em vários contextos e circunstâncias. E não achei que estivesses realmente querendo balizar a discussão (se tivesse achado, teria te respondido diretamente, como faço agora). Mas foi bom teres esclarecido, para que outros não cheguem a conclusões erradas.

    Posted by Cesar Valente | março 16, 2011, 14:47
  4. Caro Cesar. Fico satisfeito por não me incluires no perfil daqueles comentaristas que, de alguma maneira, deixam de observar as “regras de etiqueta” do blog. Tenho por hábito opinar e comentar sobre os problemas que dizem respeito à nossa cidade, em todos os sentidos. Afinal de contas, vivo aqui e percebo que todos acabamos vivenciando os mesmos problemas. Minha intenção, como disse antes, é só contribuir, humildamente. Saudações.

    Posted by Guilherme Bossle | março 16, 2011, 16:11
  5. Belíssima introdução, César Valente.
    Parabéns!
    Vou virar freguês.

    Posted by Paulo Karam | março 16, 2011, 19:27

Posts recentes

O fim de uma era
23 de maio de 2014, 17:27
Por Cesar Valente
E aí? Abandonou o blog?
6 de maio de 2014, 17:46
Por Cesar Valente
Brasília real aos 54 anos
28 de abril de 2014, 22:12
Por Cesar Valente
Beleza e crueldade
28 de abril de 2014, 22:01
Por Cesar Valente
A semana dos enigmas
17 de abril de 2014, 8:09
Por Cesar Valente

Arquivos