// você está lendo...

Arte gráfica

Armadilhas do design sindical

"Contra o não ponto eletrônico"?

"Contra o não ponto eletrônico"?

Passei inda há pouco pela UFSC e vi esse banner em vários locais. É uma campanha do sindicato dos servidores da universidade feita, imagino, para marcar claramente a posição deles quanto à adoção do ponto eletrônico. Mas vejam só como são as coisas: um pequeno (ou nem tão pequeno assim) descuido na hora de fazer a arte e pronto, criou-se um ruído que pode até atrapalhar os objetivos da campanha.

Não tenho dúvidas que eles gostariam de ter dito que são contra o ponto eletrônico e que a foto, com aquele “não” num fundo vermelho, deveria reforçar essa mensagem. Só que a má resolução do design do cartaz leva-nos a ler uma frase que eles não quiseram escrever: “O Sintufsc é contra o não ponto eletrônico“.

O que vem a ser um “não ponto eletrônico”? Só pra inticar: se é contra o não ponto, é a favor do ponto, pois não?

Aí, pra ver como ficava, inverti às pressas os dois campos do banner. Não fica nenhuma maravilha, mas certamente evita que o espectador faça uma leitura errada.

Sumiu o "não ponto"

Pronto, sumiu o "não ponto"

Nem vou tentar saber por que não querem controle eletrônico de ponto, porque o objetivo aqui foi só esse mesmo: chamar a atenção para a importância do design gráfico bem resolvido.

Discussão

Comentários estão desativados para este post.

  1. Sabemos todos, é público e notório entre os usuários da UFSC, que seus servidores trabalham quando querem.

    Viva o ponto!

    Posted by Pedro Lemos | setembro 17, 2010, 18:28
  2. Pois é, esse negócio de ter que prestar conta que trabalhou é coisa de burguês! Conta desse capitalismo opressor que obriga as pessoas a trabalhar no horário pra poder receber… Ou pelo menos assim pensa esse sindicato.

    Posted by Bernardo | setembro 18, 2010, 10:59
  3. Primeiramente, revelo que trabalhei na UFSC durante dois anos e não me senti motivado a me filiar ao SINTUFSC. Claro, é certo que o ideal seria cobrar resultado e não a mera presença do servidor (que pode estar lá e não fazer p… nenhuma). Só que em locais de atendimento ao público – como alguns departamentos de ensino – a situação é gritante. Além da histórica carência de servidores, os que têm não são assíduos nem pontuais. E, quando atendem, o fazem de má vontade. Claro, existem muitos bons exemplos, mas estes pagarão pelo erro dos demais.

    Posted by Fernando Silva | setembro 18, 2010, 21:15
  4. neste caso, a “ordem do fator alterou o produto…”…gostei do “design sindical”…..

    Posted by thezainer | setembro 20, 2010, 10:27

Posts recentes

O fim de uma era
23 de maio de 2014, 17:27
Por Cesar Valente
E aí? Abandonou o blog?
6 de maio de 2014, 17:46
Por Cesar Valente
Brasília real aos 54 anos
28 de abril de 2014, 22:12
Por Cesar Valente
Beleza e crueldade
28 de abril de 2014, 22:01
Por Cesar Valente
A semana dos enigmas
17 de abril de 2014, 8:09
Por Cesar Valente

Arquivos