// você está lendo...

Eleições 2010

O culpado é o motorista!

Ontem, no tuíter, o Gonzalo Pereira lembrou que a literatura policial ensina que a culpa, no final é sempre do mordomo. Dito e feito: o motorista do carro eleitoral da prefeitura de Florianópolis está preso e preso vai continuar.

Naturalmente espera que seus chefes saibam reconhecer o valor do silêncio e o recompensem, de alguma maneira, pelas dificuldades e constrangimentos que está passando, como única face visível de um crime eleitoral escandaloso que tem tudo para ser varrido para debaixo do tapete.

Todos já sabem, a esta altura, que o Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis, órgão da prefeitura, tem um carro preto, que era usado habitualmente pelo prefeito Dário Berger e dirigido pelo segurança/motorista Sílvio.

Abre-se aqui o primeiro parêntese: por que diabos o prefeito de uma capital de estado precisa andar num carro oficial registrado em nome do Ipuf? E por que diabos o prefeito precisa esconder-se atrás de uma placa fria? Fecha parênteses.

Aí, porque a placa fria estava fora dos padrões do maravilhoso mundo sem multas das placas frias, o carro acabou parado pela polícia rodoviária. E, na vistoria, os policiais encontraram uma boa quantidade de material de propaganda eleitoral no carro. Sem falar de uma mixaria (uns R$ 1.800,00) em dinheiro miúdo. Em sua defesa, o advogado da prefeitura tenta nos aplicar a sua interpretação da lei: “carregar material de propaganda eleitoral em carro oficial não é crime”.

Tá na hora de abrir o segundo parênteses: como assim, cara pálida? Se usar o servidor de e-mail do governo para enviar mensagem de propaganda já pode dar motivo a pedido de cassação, por que diabos ter o porta-malas de um carro oficial cheio de propaganda, deveria ficar por isso mesmo? Tá certo que, com eleição quase certa do Tiririca, tá todo mundo achando que todos os eleitores são palhaços, mas assim também é demais. Não pode usar carro oficial na campanha. E ponto. Simples assim. Fecha parênteses.

O problema é que LHS, Dário e tantos outros, têm absoluta certeza de que a lei é feita de borracha. Estica com facilidade, sempre que for preciso, pra permitir a passagem dos ilícitos que só são ilegais se forem cometidos por adversários.

Não duvido até que tivesse mais gente no carro no momento da abordagem. E que apenas o motorista tenha chegado ao posto da PRF. Mas isso ninguém vai perguntar aos agentes. E jamais saberemos, como não ficamos sabendo em outras ocasiões, da identidade de quem usava ou estava no carro e de quem era o material e para onde seria conduzido.

Pobre motorista. Usou a hora de folga para pegar propaganda política e levar para um cunhado. Só isso. Ou coisa parecida. Ninguém, na prefeitura, sabia por onde andava o carro de placas frias. Ninguém imaginava o que ele conduzia. E o Dário, claro, jamais faria qualquer coisa à margem da lei.

EM TEMPO

Espero que vocês compreendam que quando exclamo que “isso é um crime!” não estou afirmando que se trata de algum procedimento inscrito em tais e tais artigos do código penal ou outros textos legais. É perfeitamente possível que atos que diante do senso comum e do sentimento moral da comunidade tenham jeito de crime, cheiro de crime, aparência de crime e supostas consequencias criminosas, acabem ficando de fora do enquadramento legal, por algum detalhe técnico. Se eu fosse advogado ou agente da lei, talvez não pudesse me expressar dessa forma, mas sou apenas um observador leigo e relativamente ignorante, no exercício da sua indignação.

Discussão

Comentários estão desativados para este post.

  1. Agora temos um candidado a Senador e um Prefeito “Fichas Sujas”!
    Sendo assim, o Raimundo e o Paulinho Bornhausen não prestarão mais suas colaborações a eles. Significa que terão, ambos, que andar com suas próprias pernas e informar, no farto horário eleitoral, suas decisões de proibir que seus eleitores votem no Luiz Henrique!

    Posted by lf | setembro 14, 2010, 20:47
  2. Ká, ká, ká, ká! É verdade, essa turma do DEMO que ja andava arrepiada com as babozeiras que o Lula anda falando, agora vai se defender como????

    Posted by Amauri | setembro 14, 2010, 23:13
  3. César, crime eleitoral não é mesmo. Pode olhar o Código Eleitoral e a Lei 9.504/97. É, sim, ilícito eleitoral na esfera administrativa, o que é bem diferente. Todavia, usar bem público para fim privado, no caso de prefeitos, é crime de responsabilidade do Decreto-Lei 201/67.

    Posted by Fernando Silva | setembro 15, 2010, 10:10
  4. meu deus;que o povo pare de ser surdo e cego porque estes monstros se elegem porque a maioria vota neles,quanto mais safado mais votado é vamos parar com isso ,que vão tudo pro inferno.

    Posted by beth | setembro 18, 2010, 18:57

Posts recentes

O fim de uma era
23 de maio de 2014, 17:27
Por Cesar Valente
E aí? Abandonou o blog?
6 de maio de 2014, 17:46
Por Cesar Valente
Brasília real aos 54 anos
28 de abril de 2014, 22:12
Por Cesar Valente
Beleza e crueldade
28 de abril de 2014, 22:01
Por Cesar Valente
A semana dos enigmas
17 de abril de 2014, 8:09
Por Cesar Valente

Arquivos