// você está lendo...

Porque hoje é sábado

O mar que nos cerca

Essa discussão sobre o estaleiro em Biguaçu voltou a levantar o velho lodo que repousa no fundo das nossas baías: por que não usamos o mar que nos rodeia como deve ser usado? Por que deixamos fechar o canal de navegação da baía norte? Por que fizemos pontes que impedem a passagem de barcos maiores? Por que não temos transporte marítimo? Por que continuamos de costas para o mar?

As perguntas são inúmeras e as respostas, quando aparecem, são sempre insatisfatórias. Porque esbarram num fato inegável: já fomos ousados, adiantados, admirados quando, no começo do século XX, construímos uma ponte que, além de bonita, não impedia a navegação. E pensamos na ponte como parte de um sistema multimodal integrado de transporte, num tempo em que esses palavrões ainda não eram uso corrente. Por ali passariam trens, que iriam de um porto a outro e ao interior do estado. Mas a ousadia durou pouco, a modorra venceu, a burocracia soterrou os sonhos e os políticos do imediatismo e da fortuna fácil com dinheiro público trataram de colocar as coisas nos seus devidos termos.

Hoje, até a possibilidade, modesta, de uma dragagem do canal para que barcos de médio calado possam navegar, é encarada como tabu. E num ambiente já degradado em tantos aspectos, usufruir de um bem natural como fazem tantos povos no mundo, torna-se uma ação lesa pátria e uma ameaça ao futuro do planeta.

Para ajudar nessa reflexão, deixo com vocês, neste final de semana, o filminho abaixo, que montei às pressas hoje de manhã, com cenas de 2003. Ali mostro um pouco do porto urbano de Victoria, capital da Columbia Britânica, na ilha de Vancouver, costa oeste do Canadá, banhada pelo Pacífico. É um porto natural, que antigamente era porto comercial e agora tem usos de lazer e turismo. Naquela baía sobem e descem hidroaviões, saem as lanchas rápidas que ligam Victoria a Seattle (nos EUA), circula um simpático ônibus aquático para transporte público e navegam barcos de vários tipos. Os navios grandes e de carga usam um porto fora da baía.

Discussão

Comentários estão desativados para este post.

  1. Esse ônibus marítimo urbano é um achado, já poderíamos ter pelo menos algo parecido aqui na ilha. Poderia circular de Canasvieras a o sul da ilha e na Lagoa. Belo vídeo, César

    Posted by Virson | julho 10, 2010, 13:45
  2. [...] Grande Florianópolis O mar que nos cerca 12/07/10 » Compartilhe este link no Twitter Do blog de Cesar Valente [...]

    Posted by FloripAmanha.org / Notícias de Florianópolis e da Associação FloripAmanhã » Blog Archive » O mar que nos cerca | julho 12, 2010, 08:57
  3. Em alguns lugares do planeta, os mares e rios são usados há séculos (e até milênios) como via para transportar pessoas e cargas, é certo. Mas é certo também que os conhecimentos e a noção de ecologia que temos hoje é muito diferente da que havia na época em que se implantaram essas hidrovias. Hoje sabemos que os corpos d´água são repletos de vida, que pode ser afetada ou mesmo extinta pela ação antrópica, daí o cuidado que devemos ter para uilizarmos esse ser vivo com estrada. SObre o estaleiro, é bom não perder de vista quem está por trás dele:
    “Eike Batista pode fechar siderúrgica em Corumbá-MS
    O empresário Eike batista disse ontem que pode fechar a siderúrgica da MMX em Corumbá-MS por conta de problemas ambientais. O Ibama aplicou multas à siderúrgica no valor de R$ 29,4 milhões por uso de madeira sem comprovação de origem.”
    Montar uma siderurgica movida a carvão vegetal em pleno Pantanal mostra bem o tipo de preocupação ambiental que ele tem.

    Posted by Carlos | julho 12, 2010, 15:16

Posts recentes

O fim de uma era
23 de maio de 2014, 17:27
Por Cesar Valente
E aí? Abandonou o blog?
6 de maio de 2014, 17:46
Por Cesar Valente
Brasília real aos 54 anos
28 de abril de 2014, 22:12
Por Cesar Valente
Beleza e crueldade
28 de abril de 2014, 22:01
Por Cesar Valente
A semana dos enigmas
17 de abril de 2014, 8:09
Por Cesar Valente

Arquivos