// você está lendo...

Leituras online

Olha o Cavallazzi de volta aí, gente! (atualizado)

Eu sei que vocês estavam sentindo falta. Ele dava um certo brilho a essa administração municipal morna e insossa. Tocava adiante os grandes delírios de seus chefes e iluminava as manhãs do Mário Motta com suas explicações, em geral, inacreditáveis. Depois levou um pé na bunda e sumiu, acabrunhado.

Mas não há mal que sempre dure, nem bem que nunca se acabe: o Cavallazzi está de volta! Pelo menos de volta aos blogs. Graças a uma artimanha esperta (o velho golpe do telefonema com ameaças), ele está hoje no Temperos e Apimentadas, do Meira Júnior (que foi brindado com o tal telefonema ameaçador) e em vários outros, que repercutem o reaparecimento do nosso personagem municipal preferido (depois do Juarez, claro).

Para ir ao Temperos e Apimentadas, clique aqui.

Ah, e o Meira ainda publica os documentos da viagem do Cavallazzi e uma servidora da Câmara a Londres, para contratar o tenor que não cantou, para a festa que não houve, da árvore que não acendeu, naquele episódio do dinheiro de Natal desaparecido. Viagem perfeitamente legal, imagino. Mas não deixa de ser divertido relembrar o passado recente.

JUAREZ: “ME INCLUA FORA DISSO!”

Tinha colocado o nome do Juarez Silveira na nota acima apenas pra ressaltar que ele é o nosso personagem municipal preferido. Mas ele me ligou, hoje à tarde, pra dizer que não gostou de estar na mesma nota que o Cavallazzi e que não admite ser comparado com ele. Afirma que nunca botou a mão em dinheiro público, que a cassação foi injusta e que está conseguindo se livrar das suspeitas e acusações e, principalmente, “nunca fiz mal a ninguém, sempre procurei ajudar”. Por isso ficou chateado porque eu o citei nesse contexto, em que se comentavaa última do Cavallazzi de quem, evidentemente, o Juarez não é amigo (a ponto de não querer nem frequentar nem o mesmo parágrafo).

De fato, o Juarez nunca ligou ameaçando, mesmo quando, por causa da Moeda Verde, ele virou personagem frequente da minha coluna, em citações nem sempre elogiosas. E não sei de nenhuma agressão dele a nenhum dos colegas jornalistas. Então, por acreditar que, de fato, ele é diferente do Cavallazzi, aceitei o argumento e risquei o nome dele da nota. Mas, pra mim, ele continua sendo um dos personagens mais interessantes e controversos da cidade.

E, por falar em Juarez: ele está pensando seriamente em voltar à política. Trabalha “aos pouquinhos” para concorrer novamente a vereador. Se conseguir, será mais uma prova de que, em política, não existe aquela história de que “fulano está morto” por causa de algum episódio mais cabeludo.

Discussão

Comentários estão desativados para este post.

  1. Valeu pela força, César. Um abraço
    Schneider

    Posted by Schneider | junho 18, 2010, 15:21
  2. Quer dizer que o Juarez Moeda Verde virou anjo. Tadinho, tô morrendo de pena desse injustiçado.

    Posted by Mário Medaglia | junho 19, 2010, 00:43

Posts recentes

O fim de uma era
23 de maio de 2014, 17:27
Por Cesar Valente
E aí? Abandonou o blog?
6 de maio de 2014, 17:46
Por Cesar Valente
Brasília real aos 54 anos
28 de abril de 2014, 22:12
Por Cesar Valente
Beleza e crueldade
28 de abril de 2014, 22:01
Por Cesar Valente
A semana dos enigmas
17 de abril de 2014, 8:09
Por Cesar Valente

Arquivos