// você está lendo...

Arbitragem

Quem grita mais chora menos

A gritaria do Palmeiras deu resultado menos de uma semana depois dos acontecimentos no Maracanã. O gol de empate contra o Sport quarta à noite aconteceu graças a um erro gravíssimo do árbitro goiano Elmo Alves, que viu impedimento no lance e apitou, enquanto seu auxiliar dava o lance como legal. Os jogadores do Sport pararam – o goleiro Magrão nem foi na bola -, mas Elmo voltou atrás e confirmou o gol.

É a pressão de um time grande sobre um árbitro que não deveria estar ali. O diretor da Conaf, Sérgio Corrêa gosta de viver perigosamente e por isso arruma tanta confusão. Simon merecia geladeira faz tempo, e árbitros mais qualificados é deveriam ter ido a sorteio para a partida entre Palmeiras e Sport. Afinal, tinha muita coisa em jogo. Um time lutava para se manter com chances de disputar o título, o outro esperneava para fugir do rebaixamento.

O que tem de aspirante à Fifa nesse quadro da CBF é uma grandeza. Não sei que critérios são utilizados pelo senhor Sérgio Corrêa, mas por tudo que tem acontecido e ainda vai acontecer, certamente não são os mais indicados. O homem ainda não se deu conta que estamos na reta final do Campeonato Brasileiro, nas duas séries.

O que vai acontecer ao Elmo? Nada. Com a comissão de arbitragem? Menos ainda. O Palmeiras fica com o resultado que melhor lhe convém, embora não tenha sido o ideal, e o Sport vai chorar até o ano que vem os prejuízos do rebaixamento.

O Avaí que se cuide domingo na Ressacada diante do Corinthians. Vem aí o desconhecido Francisco de Assis de Almeida Filho, árbitro representante do fortíssimo futebol cearense.

Discussão

Comentários estão desativados para este post.

  1. Qualé, Medaglia? Foi impedimento, oras, o cara acertou. Dureza ia ser se não fosse.

    Posted by Carlos | novembro 12, 2009, 14:42
  2. Ops, NÃO FOI IMPEDIMENTO!

    Posted by Carlos | novembro 12, 2009, 14:44
  3. Mário, se for colocar na geladeira cada árbitro que comete uma cagada desse tipo, daqui a pouco não sobra ninguém pra apitar. O nível da arbitragem mundial – não é só aqui, lá fora também é sofrível – não acompanhou a evolução do esporte.

    só faço uma ressalva no teu comentário quando falas do “fortíssimo futebol cearense”. O Ceará não é uma das potências do futebol nacional, mas tem tanta tradição quanto Santa Catarina. Ceará e Fortaleza são times médios importantes no cenário nacional, assim como são Avaí, Figueirense, Joinville e Criciúma. E erros podem vir de todos os lados, sejam do Rio Grande (Simon), de Goiás (Elmo), etc.

    Posted by Felipe | novembro 12, 2009, 16:14
  4. “seja do Rio Grande…”

    Posted by Felipe | novembro 12, 2009, 16:15
  5. Pela primeira vez, confesso, tenho que concordar com os termos de seu ¨post¨; cordialmente o cumprimento, é uma vergonha os absurdos que têm sido cometidos pelas exdrúxulas, facciosas e têndenciosas arbitragens nos jogos de todas as séries no futebol brasileiro. Por outro lado não deixa de ser o reflexo do que se passa nos governos brasileiros, do Presidente da República ao Inspetor de Quarteirão; e tudo acontece sem nenhuma punição; somos mesmo o País das e dos bananas. Por fim, nada comentaste da periclitante situação do teu Figueira? Abandonaste o furado barco?
    Saudações Avaianas
    Seba Martins.

    Posted by Seba Martins | novembro 12, 2009, 18:00
  6. Caríssimo Seba: tua imaginação é fértil, tua percepção é falha. Um abraço, meus respeitos

    Posted by Mário Medaglia | novembro 12, 2009, 18:44
  7. Caríssimo Medáglia,
    Procuro usar minha imaginação de forma fértil e criativa, com pitadas de ironia e apimentadas, tudo com a melhor das percepções que a experiencia dos meus sessenta e tantos anos de vida, vividos com muita alegria,boas leituras, muita informação, seriedade e da forma mais honesta possível, neste País onde impera a lei de Gerson.
    Por isso, sempre que posso acompanho alguns blogs de jornalistas inteligentes e não vinculados e não perco tempo com imprensa comprometida e/ou alugada, de todas as formas; por tudo isso e muito mais, é que só faço comentários de textos e jornalistas que julgo enquadrados nos conceitos que me permito estabelecer como confiáveis e inteligentes.
    Respeitosamente,
    Seba Martins.

    Posted by Seba Martins | novembro 13, 2009, 12:35
  8. Apoiado Seba. Concordo contigo em gênero, número e grau. Mas, por favor, pára de me identificar como torcedor. Também tenho meus sessenta e cinco, quase quarenta de profissão e isenção. Imparcial é claro que não sou, se é que me entendes. Abs, Medaglia

    Posted by Mário Medaglia | novembro 13, 2009, 15:50

Posts recentes

O fim de uma era
23 de maio de 2014, 17:27
Por Cesar Valente
E aí? Abandonou o blog?
6 de maio de 2014, 17:46
Por Cesar Valente
Brasília real aos 54 anos
28 de abril de 2014, 22:12
Por Cesar Valente
Beleza e crueldade
28 de abril de 2014, 22:01
Por Cesar Valente
A semana dos enigmas
17 de abril de 2014, 8:09
Por Cesar Valente

Arquivos