// você está lendo...

Florianópolis

A cidade merece coisa melhor

Li hoje no blog do Carlos Damião que alguns veículos de comunicação passaram a se interessar pelas péssimas condições da rodoviária de Florianópolis. Antes tarde do que nunca, tomara que sirva pra alguma coisa. Sim, porque nos meses que antecederam meu pequeno exílio em Brasília – que felizmente termina no fim do mês – incomodado com a situação do local abandonado pelas autoridades do município e do estado, já fizera um relato detalhado a alguns amigos jornalistas como sugestão de pauta.   

Conheço bem o assunto. O Chia, meu barbeiro, homem da cidade, ex-garçom da Lindacap nos tempos daquela casinha de madeira lá mesmo nos altos da Felipe, vivia se queixando, sentindo-se abandonado pelo poder público. Uma vez por semana estava eu na sua cadeira, sentindo o problema na pele e ouvindo as lamúrias de outros freqüentadores.

A rodoviária Rita Maria – sacanagem com a homenageada -, ao invés de servir como uma agradável porta de entrada da cidade há tempos vem é medindo o tamanho da mentalidade dos nossos administradores. E são exatamente aqueles que vivem cantando em prosa e verso seu amor por Florianópolis. Bando de cínicos, mentirosos e incompetentes, isso é o que são eles.

O asfalto do estacionamento atravessa temporadas cheio de crateras. Policiamento a qualquer hora do dia e da noite? Nem pensar. É território de ninguém. Quem se atreve a usar um dos poucos caixas eletrônicos ali instalados? Não sou doido. Nem o Besc, nos tempos do Besc, um banco do estado, disponibilizou serviços mesmo que fosse através de uma pequena agência. Tinha lá um posto cheio de restrições para atender o Detran e não muito mais que isso. O caixa eletrônico seguidamente sonegava dinheiro, papel para impressão de extrato, ou estava estragado. Parece que a turma morria de vergonha de mostrar através do banco a marca do estado. Bom, naquele muquifo eu ficaria ao menos ruborizado.

Em dias de chuva forte ou constante a administração não tem o menor constrangimento em espalhar baldes pelo saguão. Banheiros limpos? Não sei, nunca me atrevi a utilizá-los com nojo e medo de alguma contaminação.

A única coisa organizada lá é o esquema para tirar dinheiro do coitado que por descuido perde o cartão de estacionamento. Como aconteceu comigo. Tive que encher o saco de um funcionário da delegacia para fazer um boletim de ocorrência – como se o sujeito não tivesse nada mais importante com o que se ocupar -, apresentar o papel à administração (?) da casa e pagar um troco razoável para liberar o veículo. Organização? Nada, ganância e falta de jeito, para não dizer outra coisa.  

Não há carrinho para bagagem, muitas cadeiras de plástico estão quebradas, o piso velho e desgastado denuncia a falta de manutenção. Os motoristas de táxi em sua maioria são muito mal preparados para atender um viajante normal, quanto mais o turista. Vivi experiências bastante desagradáveis por causa disso. Sujeira e mau cheiro emolduram esse quadro lamentável. Outro dia conversaremos sobre o aeroporto.

Discussão

Comentários estão desativados para este post.

  1. ô mário, só discordo quanto à suposta falta de policiais: toda vez que vou lá vejo um deles … com bloquinho e canetinha na mão.

    :)

    Posted by Pedro Lemos | outubro 7, 2009, 15:54
  2. garanto pra ti seo Mario, se alguém chegar no governo ou na prefeitura com um projeto de MILHÕES pra fazer uma nova rodoviárias eles topam na hora, mas tem de ser mto dinheiro. Caso contrário, a turma megalomaníaca deixa td apodrecer.

    Posted by luiza guerreira | outubro 7, 2009, 16:27
  3. A licitação do andar de cima tá há anos pra acontecer. Mesmo os andares de baixo tão com os contratos vencidos e nada de licitação pra aparecer.

    Posted by Bernardo | outubro 7, 2009, 18:38

Posts recentes

O fim de uma era
23 de maio de 2014, 17:27
Por Cesar Valente
E aí? Abandonou o blog?
6 de maio de 2014, 17:46
Por Cesar Valente
Brasília real aos 54 anos
28 de abril de 2014, 22:12
Por Cesar Valente
Beleza e crueldade
28 de abril de 2014, 22:01
Por Cesar Valente
A semana dos enigmas
17 de abril de 2014, 8:09
Por Cesar Valente

Arquivos