// você está lendo...

Mão na botija

Falta de educação (atualizado)

Foto: Felipe VT/Diarinho

Foto: Felipe VT/Diarinho

Recebo muitos press-releases. São informações sobre produtos, pessoas, eventos, entidades, que alguém gostaria de ver publicadas e por isso as envia para jornalistas, colunistas, blogueiros e outros tipos de fofoqueiros, amadores ou profissionais. Geralmente dou uma olhada superficial e descarto.

Ontem recebi um, da Juventude Popular Socialista de Itajaí e já ia colocando na lixeira (até porque a política de Itajaí e Balneário Camboriú é coberta pelo JC, meu colega da página dois do Diarinho) quando uma coisa me chamou a atenção. Deixei de lado, pra ver depois com mais calma e descobrir, afinal, que coisa era essa.

O começo do texto, formal como todo press-release, informava o motivo da comunicação:

“A Juventude Popular Socialista de Itajaí, órgão de cooperação do Partido Popular Socialista (PPS), vem a publico se solidarizar com os alunos da Escola Estadual Nereu Ramos, pela manifestação no dia de ontem, onde foi reclamada a falta de ventiladores no estabelecimento de ensino.”

Não parecia ser nada muito importante. Nesta onda de calor, certamente inúmeras escolas devem ter sentido falta de ventiladores… Que coisa, né? Numa região onde faz calor em muitas épocas do ano, ninguém se lembrou de dar algum alívio para os usuários, seja com alguma solução arquitetônica, seja com ventiladores?

“A escola encontra-se em obras há mais de dois anos, faltando ainda à construção dos muros e do pátio externo, porém as salas de aula recém inauguradas não possuem ventilador nem tampouco ar-condicionado, regalia esta somente encontrada na sala da direção.

É de conhecimento de todos o calor que estamos vivenciando neste período, sendo assim com as salas abarrotadas de alunos (valendo citar que as mesmas encontra-se em desconformidade com a lei que permite o maximo de 10% de excesso de alunos por sala) o calor torna-se insuportável, ocasionando alguns desmaios e casos de náuseas e pressão baixa.”

A escola é estadual (é aquela que está na foto acima). Portanto, sob responsabilidade do sempre atento LHS e do sempre generoso Paulo Bauer. Que têm, pelo que se lê, vê e ouve, outras prioridades. O dia-a-dia das escolas não é charmoso o suficiente para interessar Suas Excelências. E contratos milionários para dotar de atlas finamente produzidos escolas onde crianças desmaiam de calor em salas abarrotadas não parecem estranhos aos que controlam o uso do dinheiro público.

Bem que o Tribunal de Contas, que empombou com o guard-rail da ponte, poderia criar caso com as escolas maravilhosamente pintadas de verde e vermelho, mas sem condições de utilização e conforto em determinados dias do ano. Ou alguma dessas ongs que gostam de encher nosso saco por causa da farra do boi poderia dedicar-se, pelo menos por algumas semanas, a verificar o que fazem com as crianças nas escolas e de que forma lidam as professoras e professores, se é que conseguem, com essa situação toda.

O texto do e-mail continua:

“Ao procurar a direção da escola foi comunicado aos alunos que os ventiladores não fazem parte do projeto original, sendo que a instalação dos aparelhos devem ser licitados em breve, ainda o diretor solicitou aos alunos que tragam os ventiladores de casa para evitar qualquer mal estar. No mesmo sentindo da incompetência e do descaso a diretora da secretaria regional alega que jamais foi reclamada a instalação dos aparelhos, portanto não poderia adivinhar o mal estar dos alunos.”

Enquanto lia esse parágrafo, soava-me nos ouvidos a voz entusiasmada do governador LHS, socando o ar, dizendo que este é “um estado de excelência” e gritando, num dos finais apoteóticos de seus discursos, “Viva Santa Catarina!”

Se eu fosse um crente na humanidade, até ligaria para a secretaria da Educação para saber que história é essa. Mas, cético e desapetrechado de paciência, não me disponho a ouvir, de novo, que “este é um caso isolado, reformamos milhões de escolas, nesta houve um problema já identificado, a licitação está sendo realizada e há inclusive má vontade por parte de um grupo que quer fazer uso político do incidente…”

Essa frase entre parênteses foi inventada por mim, com base em coisas que ouvi ao longo do tempo. Dificilmente diriam agora coisa muito diferente disso. Porque não há muito o que dizer diante dos fatos: gastam milhões em tanta coisa supérflua (ou pelo menos não urgente, como o sistema que a dinamarquesa Lego montou para tirar dinheiro das secretarias de educação), mas são incapazes de encomendar projetos decentes a arquitetos competentes.

LHS, o dos discursos, do estado de qualidade, não se preocupa com as coisas essenciais: para um estado de excelência é fundamental ter boas escolas e, dentro delas, bom ensino. Não se constrói nada a partir de nada. Constrói-se a partir de uma base bem formada. Mesmo as indústrias que investirão, a acreditar-se nos números berrados nos discursos do mesmo LHS, R$ 15 bilhões em Santa Catarina, podem rapidamente desistir se perceberem que a mão-de-obra disponível foi mal formada em escolas lindamente pintadas, mas impossíveis de habitar.

É claro que o Eduardo Assis, que assina a nota, e seus companheiros de partido, têm objetivos políticos ao divulgar essa situação. E é para isso que existem partidos políticos. E a única forma de evitar que alguém faça uso político dos malfeitos de quem está no poder, é procurar não deixar rabos tão visíveis em áreas tão sensíveis.

Os jovens da JPS de Itajaí fazem, ao final apelo a autoridades do ministério público, do conselho tutelar e do judiciário e encaminham solicitação ao deputado Grando (que gosta de ser chamado de deputado Professor Grando), que é do partido deles, o PPS, para que faça alguma coisa.

Ora, o Grando é membro ativo da base do governo, é LHS de quatro costados, intrinsecamente dedicado às causas da situação, certamente explicará aos jovens correligionários de Itajaí que devem entender melhor a situação antes de ficar colocando a boca no trombone. E, por intermédio de alguma dispensa de licitação ou outro socorro rápido, tratarão, os aliados Bauer (PSDB), Grando (PPS) e LHS (PMDB), de retirar a escola do foco das atenções.

Quando a poeira baixar, voltará tudo ao seu ritmo normal. E o governo “de excelência”, que não tem tempo para coisas “menores”, poderá retomar seus afazeres, atendendo potentados, dignitários, príncipes sauditas e mega-empresários e presenteando-os com livros ricamente ilustrados, feericamente coloridos, sobre as maravilhas catarinenses.

EM TEMPO

Pra não acharem que esse meu último parágrafo foi apenas um exagero e que tais encontros internacionais ocorrem esporadicamente, taí um trecho de outro press-release, este enviado pelo governo do estado, que acabei de receber:

“Florianópolis, 09/03/2009 12:00:43

EVENTO: Primeira reunião de governadores da América-Latina sobre o Desenvolvimento dos Territórios Rurais;

A primeira reunião plenária da Rede de Governos Subnacionais para o Desenvolvimento dos Territórios Rurais Latino-Americanos acontece na próxima terça-feira (10), às 9 horas, no Hotel Costão do Santinho. O evento, organizado pela Secretaria de Estado do Planejamento (SPG), encerra na quarta-feira (11).”

ATUALIZAÇÃO DA TARDE

Do gabinete do deputado Professor Grando me enviaram, no final da tarde de hoje, o seguinte esclarecimento:

“Caro Cezar,

Estou enviando em anexo, a indicação do Deputado Professor Grando, solicitando providencias à Secretaria de Estado de Educação em relação aos problemas que afetam a Escola Nereu Ramos da cidade de Itajaí, em resposta a solicitação da Juventude Popular Socialista daquela cidade. Gostaria apenas de salientar que tanto a JPS de Itajaí, quanto a de Santa Catarina, sempre trabalham em sintonia com o Gabinete do Deputado Professor Grando, e sempre que possível levantam os problemas que atingem os jovens de Santa Catarina, em particular este caso de Itajaí, e conjuntamente e dentro das possibilidades tentamos encaminhar uma possível solução.

Forte abraço e parabéns pela nova formação do seu sítio na internet.

Nos colocamos a disposição.

Celio Kupkowski
Gabinete Deputado Professor Grando”

Na indicação, o deputado solicita a instalação de ventiladores nas salas.

Discussão

Comentários estão desativados para este post.

  1. O que se espera de um governador que pinta facistamente as escolas estaduais de verde e vemelho?Que se lixem os alunos!Morram de calor!Ele e o seu Secretário de Educação(Ex PFL, atual DEM)todos farinha do mesmo saco no governo atual não estão nem aí…Votem outra vez, votem!

    Posted by rosa luiza ciqueira | março 9, 2009, 15:30
  2. Tio César,

    O “Estado de Qualidade” não parece uma melancia?

    Posted by lh | março 9, 2009, 17:15
  3. Tio César, vc já cantou a pedra. Logo alguém iria escrever dizendo que providencias ja estao sendo tomadas e que nos proximos dias… a mesma balela de sempre. Abracos.

    Posted by Joanildo | março 9, 2009, 19:55
  4. Quer dizer que no projeto da escola não estava contemplado o conforto dos usuários? Da próxima vez eles podem cortar os banheiros também, dá para economizar uns bons trocados.

    Posted by Carlos Henrique | março 10, 2009, 10:36
  5. Grande Grando, sempre puxando. Ou o saco dos poderosos (ganhou um mandato assim) ou a brasa para a sua sardinha.

    Posted by Carlos X | março 10, 2009, 10:47
  6. Se o Grando não puxar o saco, cai fora. Nâo foi pouco o esforço do governador em manter o deputado Altar Guidi na Secretaria de Planejamento (onde nada se planeja) para que o Grando ficasse na assembléia puxando o saco. Isto porque o Altair Guidi não é tão capacho assim como é o Grando.

    Posted by Belmiro | março 10, 2009, 11:17
  7. Que bobagem!! O assessor se refere ao deputado como Professor com letra maiuscula!!Há muito que ele deixou de ser professor, meu caro, passou a ser deputado da situação, epregado de LHS, está no cargo por favor!!!Acorda assessoria!!

    Posted by rosa luiza ciqueira | março 10, 2009, 12:24
  8. Uma posição que deve ser aplaudida, os movimentos de juventude partidária deveriam atuar muito mais neste sentido, quer seja oposição ou situação. Somente com o exercício da cidadania poderemos melhorar a qualidade da nossa política,
    O que me chama a atenção é a ausência óbvia de que estabelecimentos de educação do litoral não tenham previsão de ter ventiladores para que os alunos não passem por esta espécie de tortura, desidratação e tantos outros malefícios, sem falar na redução de seu rendimento escolar. Também queria saber qual a posição da APP destas escolas. Parabéns aos jovens do PPS e que bom que o deputado prof Grando teve esta sensibilidade, quiçá agora consiga do secretário Paulo Bauer um encaminhamento prático e que a direção (que não é eleita e sim cargo de confiança) seja chamada a responsabilidade nesta lamentável idéia de que os alunos que levassem ventiladores prá sala…

    Posted by ALISSON LUIZ MICOSKI | março 10, 2009, 15:20

Posts recentes

O fim de uma era
23 de maio de 2014, 17:27
Por Cesar Valente
E aí? Abandonou o blog?
6 de maio de 2014, 17:46
Por Cesar Valente
Brasília real aos 54 anos
28 de abril de 2014, 22:12
Por Cesar Valente
Beleza e crueldade
28 de abril de 2014, 22:01
Por Cesar Valente
A semana dos enigmas
17 de abril de 2014, 8:09
Por Cesar Valente

Arquivos