// você está lendo...

ESPECIAL DE CARNAVAL

Império dos Sentidos, registro histórico (IV)

As confissões de J. Gordinho

j-gordinho1

J. Gordinho

J.Gordinho faz parte do seleto grupo dos estadistas. Pode- se dizer que tem a inteligência de um Reagan, a lucidez de um Jânio e a sobriedade de um leltsin. Tem um quê de Idi Amin, nas versões preta e branca.

A vida de J. Gordinho é uma história de lutas rocambolescas. Exilado na França, passou por um período difícil de solidão, regado a fartas doses de Möet Chandon. Voltou ao País vestindo uma reluzente fantasia de Tina Turner, que usou durante as quatros estações.

Durante o ano, J.Gordinho se recolhe em exílio voluntário na zona sul do balneário decadente, em meio a mulheres, bebidas e outras perversões. Mas quando chega fevereiro, instala-se firme em Floripa como a figueira da Praça XV – amparado em todos os seus membros.

A laureada jornalista (ela deu para um tal de Lauro), Rosa Pink Flores assumiu a missão de entrevistar o Presidente. Como primeiro passo – em falso –, Rosa foi apresentada ao porta-voz oficial do Império dos Sentidos, Gaguinho do Estreito, que a levou até um botequim de aparência certeira. Era suspeito. Em uma mesa ao fundo, vestindo seu indefectível terno branco e com a já conhecida gomalina no cabelo, J.Gordinho saboreava uma dose de uísque 12 anos.

O Presidente tem muito a revelar mas passou quase toda a entrevista cantando, com algum sucesso, a Rosa Pink Flores. Em 20 anos de mandato, doou-se a seu rebanho de eleitores. Tanto que, este ano, o enredo do Império dos Sentidos é o Mal da Vaca Louca.

Ao fim da entrevista, J.Gordinho, escoltado por seus seguranças, partiu em sua limousine rumo à casa de Eurico Miranda, a quem dá aulas particulares de administração de cofres públicos e privados e liderança política.

Rosa Pink Flores: O sr. se define como de oposição, correto?

J. Gordinho: Perfeitamente. Apóio as minorias. Putas, homossexuais e afins.

RPF: Mas as putas e as bichas não são mais oposição, são situação. Como é que fica?

JG: Eu sempre declarei isso, porque no Império dos Sentidos nós nunca tratamos essas categorias como minorias. Elas são representações da maioria do povo brasileiro e é por isso que o Presidente sempre esteve ao lado de todos esses agentes sociais.

RPF: Quando o sr. fala isso, pode-se dizer que o homem brasileiro já deu, está dando ou dará?

JG: Lógico! Essa é uma constatação, é a realidade! Temos que admitir isso, até porque todo homem, se não der de fato, será submetido, após os 45 anos, a exames proctológicos.

RPF: E isso vale para as mulheres? Quer dizer que em algum momento da vida elas fizeram sexo pago também?

JG: No caso das mulheres, a prostituição é uma saída viável para que a gente consiga uma melhor distribuição de renda…

RPF: Seria também um mecanismo de emancipação feminina?

JG: Olha, eu acredito que sim. Sem dúvida, a emancipação feminina deve passar por este caminho. Porque, afinal de contas, de uma ou de outra forma todo mundo acaba dando.

RPF: Esse enredo da vaca louca também está inserido no contexto das mulheres?

JG: Exatamente. Estão dizendo que a vaca está comendo ração animal. De uma forma ou de outra, é sempre um bicho comendo outro, seja vaca ou seja gente.

RPF: Todas as vacas no Brasil correm o risco de estar realmente loucas?

JG: Eu espero que todas as vacas brasileiras fiquem completamente loucas nesse carnaval.

RPF: Como você explica que, na sua única eleição, houve mais votos que eleitores? Você teve quase 700 votos de um colégio eleitoral de 60 pessoas…

JG: Olha, a oposição tenta dizer que houve fraude eleitoral, mas eu não tive nenhuma participação nisso! A urna era do Tribunal Regional Eleitoral e eu não tenho culpa se o povo que não compareceu na assembléia votou antes!!! Eu não tenho culpa, não sei exatamente o que aconteceu. Pode ter acontecido também um erro na contagem dos eleitores presentes no Roma na oportunidade.

RPF: E o bloco vai sair este ano?

JG: Olha, se vai sair eu não sei, porque a maior ala do meu bloco é a ala dos sentados.

RPF: Sentados onde?

JG: Sentados na boneca!

RPF: Quais os fatos que o sr. destacaria nestes 20 anos?

JG: Eu destacaria a precisão da análise de conjuntura dos sambas do Império dos Sentidos. Estivemos presentes em várias oportunidades da história brasileira. Denunciamos em absoluta primeira mão as maracutaias na República das Alagoas, com os sambas Maracutaia Colorida e Metida Provisória, em que detalhamos a história entre a Zélia e o Cabral. Nós sempre nos antecipamos aos fatos. Na ocasião da Guerra do Golfo, preparamos Saddam Hussein Não É Tão Macho Assim e Scud B, sambas atuais que podem ser cantados após esse novo ataque ao Iraque.

RPF: Perfeito, Presidente…

JG: Olha, eu estou à disposição da imprensa, apesar de todo o papel que essa imprensa imunda sempre teve, tentando denegrir a imagem deste Presidente.

RPF: Mas o papel da imprensa é denegrir a imagem de pessoas de bem. Veja o que acontece com o nosso querido Eurico Miranda…

JG: Como eu estou gordo atualmente e tenho certa semelhança física com o Eurico Miranda, estou sendo acusado de ser laranja do Eurico.

RPF: Presidente, o seu discurso este ano vai ter que duração?

JG: Isso vai depender da quantidade de cachaça e uísque que eu tiver tomado. Você sabia que o Fidel Castro copiou os discursos deste Presidente? Os discursos do Fidel não chegavam nem perto dos meus na época áurea! Mas como atualmente eu ando bebendo demais, acho que vou encurtar.

ERRAMOS

Ao contrário do que diz a imprensa, JGordinho não é ladrão, é só corrupto.

Não procede também o contumaz grito da oposição “O povo não é bobo, J. Gordinho é um puta demogogo”.

J. Gordinho não faz falsas promessas, apenas comete atos públicos vergonhosos.

Também não é verdadeiro o fato espalhado por aí que o terno branco do nosso mui digno Presidente foi roubado de um cidadão que entrou em óbito. Ele afanou o terno do Eurico Miranda.

Também não é verdadeiro que J.Gordinho comeu a mulher de seu porta-voz, Gaguinho do Estreito

Ass: Gaguinho do Estreito, porta-voz.

Bebendo pra Caralho

Letra: J. Gordinho
Música: Sorriso, Peludo e J.Gordinho*

Bebendo pra caralho
Esta é a situação (bis)
Bebendo no inverno
Bebendo no verão

Por que não?..(breque)

No inverno eu bebo Vodka
Bebo cerva no verão
Bebendo pra caralho
Por que não?
Por que não?
Por que não?

Eu me sinto bem
Quando estou voando a mil
Bebendo pra caralho
Eu sou muito mais Brasil

Brasil, Brasil, Brasil
És a terra do orvalho
É por isso meus amigos
Que eu bebo pra caralho

Por que não,?… (breque)

* ao que tudo indica composto em 1981

Discussão

Comentários estão desativados para este post.

  1. Amigos.
    Não sou jornalista nem escrevo bem.
    Sou aposentado, recebendo do INSS e tendo o IR descontado na fonte. Não recebo as benesses de nosso apedeuta mor que tem pensão do INSS acima do máximo, isento de Imposto de Renda por se achar perseguido político, ou melhor, por se anistiado político.
    Luto com as armas que tenho que é um blog, como forma de desabafar ao ver tanta roubalheira, falta de ética, falta de honestidade e principalmente falta de vergonha na cara desta quadrilha que tomou de assalto o Palácio do Planalto.
    Quero convidar os amigos a participarem da minha forma de protesto, o blog Brasil – Liberdade e Democracia – http://brasillivreedemocrata.blogspot.com/.
    Se não levantarmos nossas vozes em protesto o que será deste país para nossos filhos e netos?
    Agora é a hora de lutarmos por uma pátria livre democrática, e sobre todo com governantes honestos e éticos.

    Posted by laguardia | fevereiro 22, 2009, 22:38

Posts recentes

O fim de uma era
23 de maio de 2014, 17:27
Por Cesar Valente
E aí? Abandonou o blog?
6 de maio de 2014, 17:46
Por Cesar Valente
Brasília real aos 54 anos
28 de abril de 2014, 22:12
Por Cesar Valente
Beleza e crueldade
28 de abril de 2014, 22:01
Por Cesar Valente
A semana dos enigmas
17 de abril de 2014, 8:09
Por Cesar Valente

Arquivos